Engenharia Não É Ciência

Por Henry Petroski

Postado 2010-11-23 19:10 GMT

E confundir os dois nos impede de resolver os problemas do mundo

No discurso político, a política pública de debates, e a mídia de massa, a engenharia é muitas vezes sinônimo de ciência. Esta confusão pode parecer uma estenografia inócua para os grandes escritores, mas pode deixar políticos, políticos e o público em geral incapazes de tomar decisões informadas sobre os desafios técnicos que o mundo enfrenta hoje.

ciência é sobre a compreensão das origens, natureza e comportamento do universo e tudo o que ele contém; engenharia é sobre a resolução de problemas, reorganizando as coisas do mundo para fazer coisas novas. A confluência desses objetivos separados leva a opiniões desinformadas, que por sua vez pode atrasar ou desviar a gestão, o esforço e os recursos.tomemos o derramamento de petróleo deste ano no Golfo do México. Ninguém, tanto quanto sei, culpou a ciência. Más decisões de engenharia permitiram que o gás escapasse de um poço em águas profundas, o que por sua vez causou uma explosão fatal. Subsequentemente, o Preventor de explosão falhou e durante meses o petróleo escapou para o ambiente. A pobre engenharia meteu-nos na confusão; certamente só a boa engenharia nos poderia tirar dela. No entanto, repetidamente, o governo e outros cientistas de pesquisa foram autorizados a vetar as táticas de engenharia necessárias para estancar o fluxo. No final, é claro, foi a engenharia que finalmente tapou o poço.embora nem todos os desafios tecnológicos que o mundo enfrenta hoje requeiram a mesma atenção imediata que um poço de petróleo jorrando—alguns são tão mundanos quanto o desenvolvimento de fontes de energia renováveis, fornecendo água limpa e descartando nossas montanhas de lixo—eles ainda apresentam a mesma dualidade.os cientistas podem argumentar que o governo precisa investir em pesquisas científicas básicas que levarão a descobertas não especificadas sobre energia, água e resíduos. Embora já se saiba muito sobre essas coisas, certamente não faria mal saber mais, mas o que realmente faria avançar as coisas seriam investimentos em Engenharia.ao longo da história, uma compreensão científica completa não foi necessária nem suficiente para grandes avanços tecnológicos: a era da máquina a vapor, notavelmente, foi bem no seu segundo século antes de uma ciência totalmente formada da termodinâmica ter sido desenvolvida. De facto, por vezes, a ciência impediu o progresso. Se Marconi acreditasse em seus contemporâneos físicos, ele teria “conhecido” que sinais de telegrafia sem fio não poderiam ser enviados através do oceano, em torno da curvatura da Terra.os engenheiros acolhem com agrado todo e qualquer conhecimento científico disponível, mas não precisam esperar que os cientistas lhes dêem luz verde para inventar, projetar ou desenvolver as máquinas para avançar com a tecnologia ou para verificá-la quando ela fica fora de controle. Sem compreendermos isto, continuaremos a subfinanciar a engenharia necessária para resolver os nossos maiores problemas.

sobre o autor

Henry Petroski, um professor de engenharia e história na Universidade de Duke, é o autor de 14 livros e numerosos artigos. Seu livro mais recente é o engenheiro essencial: por que a Ciência sozinha não resolverá nossos problemas globais (Knopf, 2010).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *